3 de nov de 2008

O domingo de Hamilton






No ano em que se comemora 20 anos do primeiro título de Ayrton Senna, conquistado na histórica corrida do Japão, em 1988, Lewis Hamilton sai de Interlagos como o campeão mais jovem da Fórmula-1.

O que os dois têm em comum? Ayrton é o grande ídolo do inglês, que um dia pediu a Ron Dennis, da McLaren: "Deixa eu correr pela equipe do Senna?" Na Fórmula 1 de hoje, Hamilton é o fã número 1 do brasileiro que deixou as pistas em 1994.
Por essa razão, a comemoração aqui em casa (do lado direito da cama, o esquerdo torcia pelo Massa e sua Ferrari trapalhona) é dupla.

p.s.: Para aqueles que tentaram azarar o campeão com a camisa do Vasco, valeu o ditado do feitiço contra o feiticeiro. Caidíssimo no Brasileirão, o time da Colina derrotou o Fluminense ontem no Maracanã. Da próxima vez, sei não, é melhor arranjarem outro amuleto pro Massinha.

6 comentários:

leoc. disse...

eu tava torcendo pro argamassa. e o cara chegou a ser campeão nas duas últimas voltas! azar do cacete. e o obama, além de chegar em quinto, ainda foi campeão.

bom, pelo menos o garoto tentou e quase conseguiu. é uma melhora pro brasil, que finalmente tem um piloto competente e não tem que aturar o galvão vendendo o barrichello (ainda bem que até ele já desistiu). se a ferrari melhorar o serviço, quem sabe ele não ganha em 2009.

Marcelo Moutinho disse...

Como escreveu uma amiga minha, "o Massa me comoveu com suas lágrimas, e, por alguns instantes, odiei o Hamilton, pela sua sorte. Depois, não, ele também se esforçou para chegar até onde estava. Mereceu, mas não festejo por ele".

Cláudia Lamego disse...

Leo, ele recebeu a bandeirada como campeão! Isso foi muito frustrante, porque, de um modo ou de outro, estava todo mundo meio conformado.
O Hamilton foi campeão não só na última corrida, mas pelas vitórias durante o campeonato. Mereceu.
O pai dele, o Hamiltão, foi muito gentil e dedicou o título também à família do Massa, lembrando que ele e sua família, no ano passado, passaram pela mesma frustração.
De resto, é como disse um motorista de van na Parnaíba, em relato de uma amiga: "Massa fez uma prova excelente, só não ganhou por causa do merda do Rubinho, que nem para dar uma bundadinha no neguinho na última volta, serve. Ele perdeu a chance de se tornar herói nacional. É um bosta mesmo!"

Pedro Paulo Malta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Paulo Malta disse...

Amor,

Tô com o Léo e compartilho do sentimento descrito pelo Moutinho.

Aquela possibilidade, ali no finzinho, deu ao desfecho do Mundial uma emoção que eu não contava que fosse sentir (primeiro euforia, depois tristeza). Assim como o Gabeira na semana passada, nos consola a esperança de um Massa + forte na próxima temporada.

Mas, na condição de "lado esquerdo da cama", torci mesmo pro Massa, como torceria por qq brasileiro naquela situação. Abro exceção apenas pros que se sujeitam a capacho e acabam prestando um serviço contra o esporte (caso do Rubinho, de infeliz memória).

Não torci pela Ferrari trapalhona, assim como nunca torci pela Brabham dos tempos do Piquet, pela Lotus preta, pela Williams fdp ou pela McLaren espiã do ano passado.

Aprendi a torcer por pilotos e é por 1 piloto - de preferência brasileiro - que vou torcer ano que vem nos domingos de manhã.

Beijos, viva o Ayrton.

Cláudia Lamego disse...

Amor, pois eu NUNCA, JAMAIS, EM TEMPO ALGUM torceria por qualquer piloto na Willians, por exemplo.

Sou passional! A McLaren me lembra o Senna, e isso é suficiente.
Sou viúva, como você sabe.

Mas, mesmo no lado direito, vou torcer para o Obama.