27 de ago de 2008

"O samba está esperando/esperando pra te ver"

A música me uniu ao meu marido. Nos vimos a primeira vez durante uma roda de samba no Bip, em Copacabana. Fomos apresentados duas semanas depois, no Centro Cultural Carioca, depois de um show da Teresa Cristina. Voltamos ao Bip para dar o primeiro beijo e, ao longo desses cinco anos, foram inúmeros os momentos de comunhão ao som de Chico Buarque (ele jura que não escolheu dar ao filho o nome de Francisco em homenagem ao nosso ídolo), Dorival Caymmi, Noel Rosa, Clara Nunes, Paulinho da Viola e tantos outros. Não à toa, eu (que não tive uma formação musical, digamos, adequada) e ele temos a expectativa de compartilhar com o nosso filho essa grande paixão.

Há duas semanas, ao ouvir pela milésima vez o CD dos Saltimbancos Trapalhões, as músicas adquiriram outra dimensão para mim. Chorei, segurando a barriga, e conversando com o neném: "Francisco, eu sonhei muito com o dia em que ia poder dividir a alegria de ouvir essas músicas com um filho e poder ensiná-las a ele".

Em alguns momentos, eu fico pensando se, quando crescer, Francisco vai achar tudo muito chato o que a gente ouve e o que tentou ensiná-lo a gostar também. Imagino às vezes ele gostando de música eletrônica (nada contra, mas não é nossa praia), e achando esse tal de Chico Buarque um ultrapassado. Claro que, se depender de nós, ele vai adorar ir ao Choro na Feira, às rodas no Bip, na Portela, na Folha Seca, ao Bandão da Escola Portátil, aos blocos de carnaval com marchinhas e frevos...

No domingo passado, fomos ao Teatro Municipal ouvir, pela primeira vez ao vivo, aquele que também foi a trilha sonora de muitos de nossos encontros: João Gilberto. A noite é o momento em que nosso filho mais gosta de dar as caras. É chute daqui, mexe-mexe dali. Mas, talvez já conectado com os sentimentos dos pais, ele se comportou como a platéia apaixonada do mestre do samba e da bossa nova: ficou quietinho o tempo inteiro. Acho que gostou. Foi uma boa estréia!

P.S.: O texto acima foi publicado hoje em http://oglobo.globo.com/blogs/mae/

3 comentários:

l.c disse...

Saltimbacos trapalhoes é sem duvida o melhor cd 'infantil' que já escutei.
Tenho o CD, vinil e o dvd do filme.
Começou excelentemente bem a epopéia musical do menino Francisco.

Parabens

Deia Vazquez disse...

Que amor!
Eh inevitavel nao projetar o gosto dos pequenos, ne? Cada banda boa que eu via nesse fim de semana me fazia pensar se a minha sobrinha vai curtir e poderei leva-la comigo para os shows daqui ha alguns anos.

Gugu disse...

Clau, de certa forma as personalidades dos filhos são construídas com as referências que damos a eles. É bem provável, pois, que o Francisco aprecie os mesmos estilos musicais de que os pais gostam. Entretanto, a influência do meio é crucial, o que significa que ele pode vir a desenvolver gostos variados e discrepantes. Enfim, é uma loteria...