11 de set de 2008

Aqui se faz...

A mídia só lembra do 11 de setembro como o dia dos atentados ao World Trade Center, do horror dos prédios caindo e da morte de 3.500 pessoas. Um fato que convenientemente ofuscou uma outra tragédia, que sempre foi tratada com menos importância pela mídia, ainda mais a nossa, que adora "chupar" o que se fala lá fora, sem qualquer visão crítica.

Há 35 anos, nessa mesma data, o Chile foi devastado covardemente. Em vez de aviões em prédios, tanques disparando incessantemente contra La Moneda. Um presidente morto, milhares caídos. Iguais aos projetos e ao desenvolvimento social do país que foram abortados. No lastro desse terror oficial, mais de 7 mil mortes estimadas.
Coincidentemente, uma onda de terror que veio do Pacífico Norte e avançou sobre todo o continente sul-americano. O número de afogados? Oficialmente, nem se sabe, mas deve ultrapassar 30 mil.

Hoje, a maré continua agitada, em outros mares, em outros continentes, mas sempre com a mesma origem.

Já as ondas de lágrimas só relembram do 11 de setembro mais recente.

Não deixemos de chorar os outros milhares de 11 de setembros instaurados mundo afora...

4 comentários:

Olívia Bandeira de Melo disse...

Boa lembrança, Fernando.
Choremos.

l.c grazinoli disse...

Mucho más temprano que tarde, de nuevo se abrirán las grandes alamedas por donde pase el hombre libre, para construir una sociedad mejor." - Salvador Allende

Dia 11 de setembro de 1973.

Antes dele se suicidar com um tiro ak-47, presente do seu amigo Fidel Castro.

Fala-se que o Chile teve a pior ditadura sulamericana, dificil de saber, mas que o regime deles foi o mais perseguidor, não tenho duvidas.

G8 Glog disse...

http://g8glog.blogspot.com/2008/09/joga-esse-avio-em-mim.html

Gustavo Queiroz disse...

Chile o exemplo do medo capitalista.
Medo não de morrer ou de matar mas medo de uma vida justa para a coletividade humana.

11 de setembro

Ação direta já!