4 de jun de 2008

A invasão dos filmes dublados

Uma das coisas que mais me incomodam, até mais que pessoas falando no celular e comendo pipoca no cinema, é filme dublado. E outro dia entrei correndo no cinema sem prestar atenção nessa simples informação: o filme era dublado. Assisti resignado, mas meu espanto foi maior quando descobri que naquele cinema todas as sessões exibiam filmes dublados.

Na saída eu peguei um folheto com a programação dos cinemas Kinoplex. Além do Shopping Grande Rio, os cinemas do Iguaçú Top, do Madureira Shopping e BayMarket (este, com a excessão de uma sessão) apresentavam em sua programação apenas filmes dublados.
O contrário acontecia no Fashion Mall, no Leblon, no Palácio, no Roxy e no São Luiz. (Nos demais, as sessões eram equilibradas.)

Além de uma decisão prática (não iria mais ao cinema no Grande Rio), fiquei pensando que separação social é essa. Será que foram feitas pesquisas para saber se no Leblon as pessoas sabem ler (ou gostam de ler) e em São João de Meriti não sabem, ou lêem com dificuldade e devagar? Ou essa decisão foi tomada com base apenas em preconceitos?

Não que estejamos perdendo grande coisa. Afinal, a vasta programação do Kinoplex reserva para todos (!) os cinemas, às vezes em mais de uma sala, "Indiana Jones", "Speed Racer" e "Homem de Ferro" (só no Leblon, que tem apenas duas salas, os filmes eram "Indiana Jones e "Efeito Dominó"). Os filmes que completam a programação são piores.

Reclama-se muito da onipresença da televisão - principalmente das novelas - na vida do brasileiro. Mas assitir ao final de "Duas caras", que bem ou mal tentou colocar alguma questão em discussão, é muito mais enriquecedor que ver filmes ruins e dublados nos Kinoplex da vida.

18 comentários:

Gugu disse...

Lucas, fiquei pasmo com essas informações, não sabia que havia cinemas exibindo apenas filmes dublados. Aqui no Centro e Zona Sul, normalmene apenas os fimes infantis têm sessão dubladas. Será que ninguém reclama?

Cláudia Lamego disse...

Também fiquei chocada! Por que você não escreve uma carta reclamando? E publica a resposta aqui? Fiquei curiosa para descobrir a justificativa.

Olívia Bandeira de Melo disse...

Gostei da sugestão da Clau. E prefiro também assistir a filmes legendados, além de achar essa separação Zona Sul/legendado, Zona Norte/Baixada/dublado um absurdo.

Agora, para não perder o hábito (estou adorando nossas atuais discussões): será que não tem muita gente que não liga se o filme é ou não falado na língua original, que não acha que a experiência de ver um filme dublado é menor ou pior do que ver um filme legendado ou na língua original?

Cláudia Lamego disse...

Pode ser, Lili. Pensei agora que, de repente, a rede Cinemark fez até uma pesquisa entre os freqüentadores e chegou a essa conclusão. Será?

Gugu disse...

Eu gosto dos infantis dublados, exceto quando os dubladores são atores conhecidos, porque aí eu fico com a imagem da pessoa na cabeça e me desconcentra. Mas os legendandos são importantíssimos pra aprender línguas. Aliás, eu já quis ser dublador. Mas tem que ter registro de ator pra fazer o curso. E tenho um amigo que exerce a profissão. É super estranho conversar com o cara, parece que você está ouvindo a televisão...rs

Gardênia Vargas disse...

É... desconcertante essa notícia. Não sabia que exstia cinema só de filme dublado. Mas sabe, lembro de muita gente reclamar de filme legendado e preferir o dublado, mastigado. Não podemos esquecer que Zona Sul é exceção da exceção, e que nossa maioria num é muito da leitura e da concentração, né? |Acho que eles mesmo preferem tudo bem mastigadinho na hora de descansar. Mas o que podemos fazer é reclamar. Pedir qualidade na educação... aquela coisa de sempre...

Vamos aproveitar o ano de elições. Vai que alguém promete pegar a grana dos Laptops (que deram para os professores com a desculpa de querer informatizar a educação nas escolas públicas)que os mestres devolveram e investir em educação de ponta do Rio. Já pensou? Notebooks devolvidos juntamente com uma bela reciclagem de professores, as salas de aula com segurança, limpeza e muita educação? Já pensou o salário dos professores ficando bem bons e eles todos felizes indo dar aula para salas com no máximo 15 alunos. Gentem! É isso! Vamos pedir para investirem na educação do povo! Vamos lá: boca no trombone!

... por algum moemnto me senti meio velha, sabe...

Olívia Bandeira de Melo disse...

Quando me perguntei se as pessoas gostam de assistir a filmes dublados estava pensando que ver filmes no original é considerado "cult", "intelectual", "melhor" por um grupo de pessoas. Outros podem achar isso uma besteira, um purismo de elite sem sentido.

Não acho que gostar de ver o filme dublado possa ser imediatamente associado a ter preguiça de ler nem a ter pouca educação. Pode ser também uma questão cultural, uma idéia criada pela elite e tida como critério de valorização.

Será que os franceses assistem Glauber Rocha em português?

Cláudia Lamego disse...

Gente, sob qualquer aspecto é melhor ver o filme legendado, porque você pode ouvir a voz dos atores, perceber em que língua falam, ver o filme no som original, enfim. Não acho que seja uma coisa considerada cult nem intelectual nem de elite.
Não acredito em preguiça de ler não. É mais uma questão de hábito ver dublado, por causa da TV, que só passa filme assim.

Lucas Bandeira disse...

Gente, a questão é: as pessoas acham que tanto faz (o que para mim é o mais comum) ou preferem dublado (o que para mim é incomum). Vou tentar descobrir como mandar uma carta.

Cláudia Lamego disse...

Garden, você tem o contato da assessoria dessa rede? Podia passar pro Lucas, ele faz o contato. Que tal? Queremos uma resposta!!

Gardênia Vargas disse...

Passo pra ele sim. Vou lembrar amanhã. Beijos

Gugu disse...

Ontem fui a uma sessão de Nárnia, às 21h30, na Gávea. Peguei os ingressos, distraidamente, e qual não foi minha surpresa ao constatar, em cima da hora, que o filme era dublado!! Caceta, tem criança no cinema essa hora??

Dri disse...

Concordo plenamente com vc!!! E mais, acho que filme dublado deve ter um aviso ENORME, em letras coloridas e brilhantes... Fui ao cinema ontem, o mesmo que o Gustavo foi... Que decepção!!
Em tempo! Também tenho um blog... http://www.desabaffa.blogger.com.br

Lucas Bandeira disse...

Mandei um email para o SAC e até agora nada! Se vcs tiverem o da assessoria de imprensa.

Monique Cardoso disse...

acho que vcs esqueceram que me conhecem ou que eu morei a vida inteira na baixada fluminense. gente, sempre comentei que nao dá pra ver filme na baixada fluminense. nenhum. eu hein.

Monique Cardoso disse...

lucas, a gente pode dar no humpf da revista programa. nesta sessao sai a carta, a resposta e a replica do reclamante. quer? me avise.

Gugu disse...

É o blog do Caroço pautando o jornalismo carioca!!!

Lucas Bandeira disse...

nique, claro que sim. vcs entram em contato com a assessoria? o meu post pode ser a minha carta?