7 de abr de 2008

Diplomacia etílica

Coleguinhas jornalistas do México denunciam que está forte o cerco contra a vodka no país. Antes fosse por fidelidade à tequila. O veto é contra a vodka Absolut, que lançou uma campanha com o "novo mapa do México", mostrando como seria o país caso os EUA não tivessem ocupado e anexado grande parte do território chicano. A alegação da oposição é que a publicidade pode comprometer a "boa relação" entre os dois países e "incitar o antiamericanismo". Ainda bem que há um muro duplo na fronteira para servir de exemplo de diplomacia.

2 comentários:

Gardênia Vargas disse...

É... um muro duplo e um deserto. Boa diplomacia! ;o)

Fernando disse...

Esse negócio de politicamente correto, além de ser enfadonho e transformar tudo em mesmice (jornalismo, artes, esportes), só serve para um lado. Os poderosos do norte podem fazer piadas de mau gosto de árabes e judeus, avacalhar com os negros e latinos e debochar de tudo que ocorre fora de seu quintal. Quando é o lado mais fraco, há sempre o medinho de se indispor com o dominador. E nesse complexo de colonizados terceiro mundistas, baixa-se a cabeça e se aplaude tudo que os ianques veneram e faz-se coro a tudo que eles debocham ou amaldiçoam - vide Hugo Chavez e Evo Morales. É fato que os ianques roubaramo Texas do México, assim como o Brasil afanou o Acre da Bolívia. Mas é o tal negócio: no dos outros é refresco... ou vodka.