17 de abr de 2008

Depoimento n.4

O meu amor

"Meu carro está ali, na Atlântica". Digam isso para o Pedro, Pepê para os amigos, e ele abrirá um sorriso. É a senha para o nosso primeiro, ahn, beijo. Explico: estávamos em frente ao Bip Bip, em Copa, quando o Alfredinho cerrou as portas e não queríamos ir embora antes da "saideira". Eu dei a deixa para ele me levar até o carro e...

Tudo começou quando cismei que tinha que encontrar um namorado que, como eu, gostasse de samba. Uma amiga em comum bem que tentou nos apresentar antes do destino, mas eu resisti. E não é que ela estava certa?

Nos conhecemos no Bip Bip, bar onde ele doutorou-se em samba, ao mesmo tempo em que começava a dar canjas no Semente, sempre chamado ao palco por Teresa Cristina, uma de suas madrinhas (Beth que me desculpe, mas a outra é a Cristina Buarque, não dá para batizar todo mundo, não é, Carvalhão?).

Na uma hora e pouca que ficamos em pé conversando, tendo o apartamento da Memélia e o Alcazar por testemunhas, o papo girou entre as coisas essenciais do nosso relacionamento a partir de então e da vida dele: samba, Paulinho da Viola, jornalismo, Portela...

À primeira vista, ele se mostra tímido. Na intimidade, é como Chico Buarque: um sacana! Em pouco tempo, a gente descobre que é um imitador perfeito de políticos, apresentares de TV e até dos amigos que acaba de conhecer. No início, mesmo com aquela voz de timbre bonito e encantador, ele até que não dominava muito o palco, muitas vezes sem saber o que fazer com o microfone, as pernas, os braços e a platéia ali adiante. De repente, tornou-se ator e cantor de musical!

Fala e escreve inglês fluentemente, tendo pagado todas as mensalidades da PUC (a universidade com mais meninas cabelos cor de mel por metro quadrado) fazendo traduções e dando aulas do idioma da terra que produziu Hollywood, mas tem um Woody Allen (lugar onde Pepê viveu em intercâmbio durante um ano, ainda bem que não em minha gestão!).

Desenha muito bem, fazendo de trabalhos para festas infantis da afilhada Clarinha a camisetas de datas comemorativas para o Bip (a última foi Caymmi, uma de suas mais fortes paixões musicais), passando por lindos cartões para a família e a namorada que vos escreve.

Tem uma memória prodigiosa! Lembra de frases minhas que eu juro nunca ter dito! Aprende canções com a mesma destreza com que as guarda no seu HD. É um ótimo arquivo de imagens e situações, preservando informações sobre fatos até da mais tenra infância.

Ama futebol. Uma vez, ficou tão triste porque não pôde ver a final de um campeonato brasileiro (que nem tinha o seu Botafogo entre os contendores) que eu nunca mais o contrariei nessa área. Quer ir ao Engenhão sábado à tarde? Vá e seja feliz. Tem prateleiras repletas de livros sobre o assunto, a ponto de eu nunca ter conseguido dar qualquer um de presente, porque fatalmente ele ou já tinha ou, se fosse lançamento, já tinha comprado. A estante de futebol só perde para a do samba. O quarto dele é praticamente uma filial da nossa querida Folha Seca, do Rodrigo Ferrari.

Pedro Paulo é homem de pegar autógrafo do Chico Buarque e de levar a mulher ao camarim do cara, sem medo de ser traído. Poucas pessoas são capazes de deixá-lo sem reação. Além de Chico, Paulinho da Viola é uma delas. Jogadores de futebol também.

É menino que todo mundo ama. Da tia da namorada ao vizinho, da sogra ao cunhado, das velhinhas que assistiram ao "Sassaricando" às mães de todos os amigos e amigas. A mãe de uma amiga minha sempre avisa à filha: "não esquece de chamar a Claudinha pro seu aniversário, mas ela tem que trazer o Pedro". A minha prima de Cordeiro um dia liga e faz o convite: "Claudinha, quero que você seja a madrinha do meu casamento, que será em maio. E o seu par vai ser o Pedro. Será que ele aceita? Todo mundo aqui em casa gostou tanto dele..." É, não diga? Ela só tinha visto o Pedro uma vez na vida!

Bem, para não dizer que não falei dos defeitos, ele tem pé de pato, se atrasa de vez em quando para os encontros, nunca lembra que roupa eu usei em datas especiais, é incapaz de perceber o que uma mulher fez ao vê-la saindo do salão, precisa de assessoria para comprar roupas, tem muiiiiiiiiitas amigas e... morre de vergonha quando faço elogios públicos a ele!

11 comentários:

A digestora metanóica disse...

Sensacional!!! Amei o texto e vou até fingir que não percebi que você subornou a Déia pra fazer o depoimento do PP.

Não sabia dessa dos tantos livros de futebol. Será que posso pegar unzinho emprestado?

Quando é o casório, hein? Estou precisando de uma desculpa para festa, samba e comidas calóricas. hahahahaha

Beijosss

Cláudia Lamego disse...

Gi, até você me dizer, em algum comentário por aqui, que eu deveria escrever sobre PP, eu não sabia de nada. Juro!

Olha, eu acho que ele tem um do José Lins do Rego sobre o Flamengo, acredita? Pois é.

O casório? Você sabe que o Monarco é nosso padrinho, né? É!

Lucas Bandeira disse...

Esse livro do Zé Lins é clássico.

Bem, se ele não gosta de elogio em público, dessa vez foi mais público do que nunca...

Pedro Paulo Malta disse...

Amor,

Fiquei sem graça, poxa.

Acho que vou ter que me candidatar a vereador - não sem antes oficializar a nossa relação. :)

Te amo muito, viu?

Beijos recifenses.

Gardênia Vargas disse...

Ô meu Deus, que coisa mais linda!
:o)

Deia Vazquez disse...

Eu vi o Pepe pouquissimas vezes. Mas sempre me chamou a atencao com todo mundo so fala coisas boas desse menino. Uma unanimidade :)

Cláudia Lamego disse...

Isso, esqueci de dizer que ele está me enrolando há CINCO anos (que vamos completar no próximo dia 27 de abril). Agora anda dizendo que casa em 2008... Vamos ver!

:)

Olívia Bandeira de Melo disse...

Minha, nossa. Pedro, agora você não tem como escapar.
Marca logo essa data!

carvalhando disse...

Eu nao conheço o Pepe nem a Claudia, mas já ouvir falar muito dos dois.Por isso acredito que possa falar a minha humilde opiniao sobre esse depoimento:

PHOODDAA
com PH de pharmácia,
2 Os de cooperativa,
2 Ds de Toddynho e
2 As caatinga

Parabens aos dois.

Cláudia Lamego disse...

L.C Grazinoli (vi seu nome no blog), obrigada pelo comentário. Você é do samba? Temos amigos em comum? Fiquei curiosa.

Abs

A digestora metanóica disse...

Ih, Clau, o LC Grazinoli é do samba, sim. Mas isso eu te falei faz algum tempo...