15 de abr de 2008

Troca-troca


Bom, que o SBT nunca investiu em jornalismo, todo mundo já sabe. Que o SBT prefere comprar programas de fora a investir nas produções nacionais, também já sabemos. Então qual foi o meu espanto ao ler que, ao chegarem para trabalhar, 40 profissionais, entre jornalistas e produtores, de São Paulo, Brasília, Ribeirão Preto e Rio de Janeiro foram todos demitidos, nesta sexta-feira, dia 11. O jornal “Aqui Agora” saiu da grade da emissora paulista e no lugar entraram os seriados Chaves e As Visões de Raven. Não sei se fico chocada com os mais 40 profissionais desempregados no mercado brasileiro, ou corro para as livrarias em busca do livro de um grande amigo meu: Chaves de um sucesso.

Meu espanto não é por ver acabar mais um telejornal, mas sim ver que, depois de uma tentativa frustrada de renovação, chega-se à desistência, apenas desistência. E no lugar? Adivinha?! Um seriado estrangeiro (ainda bem que não foi o bay watch. Fora Chavez! Risos). Ninguém mais comenta, ninguém ouve falar. Apenas some do ar. No lugar, uma risadas esparsas. Não, nada contra o Chaves (com s no final!), aliás, a-do-ro esse chiquitos, os vejo desde meus três ou quatro anos. E pásmem, rio até hoje (vinte e tantos anos depois). Porém, ter acerteza de que, um seriado vai dar mais audiência que um produto jornalístico é o que me assusta. E essa outra série aí. Nunca nem ouvi falar, Parece coisa sobrenatural... vai ver que o "homi" acha que assim vai melhor o IBOPE. E o pior: eu acredito nele.

Se não me engano o Aqui e Agora estava prometendo uma grande renovação, seria o grande lançamento (como produto jornalístico da emissora) para 2008. Não sei nem se chegaram a contratar novos jornalistas e produtores, mas, de fato, me lembro uma certa algazarra em torno do novo formato do telejornal. Até platéia teria. Li isso em algum lugar. As notícias pipocaram em fevereiro deste ano e, como não vejo muita TV, nem sei se chegaram a lançar a novidade jornalística. Pelo visto, morreu na praia.

Cheguei a uma conclusão: preciso estudar os seres humanos do terceiro mundo! Ou será que do tanto faz o mundo? Precisamos de indivíduos críticos. Mas como mobilizar o planeta?

Detesto terminar um texto com uma pergunta. Mas realmente estou confusa.

7 comentários:

Deia Vazquez disse...

Garden, tenho que confessar que acho otimo que o Chaves tenha mais audiencia que o "Aqui e Agora".

Gardênia Vargas disse...

auhahuahuauhahuahuahuahuahua
eu também, mas a quetan-an não é essa! fico chocada com essas coisas... por que nãoi fazem então um tele jornal de QUALIDADE!!!!!!!!!
ô Cristo!
:o)

Deia Vazquez disse...

Mas o SBT nao sabe nem fazer novela! hahahahaha
Telejornal de qualidade - isso eh de comer ou de passar no cabelo?

Miragaya disse...

Ixi, Gardênia, não se espante com essas medidas abruptas do Senor Abravanel não, caso contrário você vai viver com dúvidas... rs. Como você disse, SS nunca deu a mínima para jornalismo. Ele quer saber é dos pontinhos no Ibope. Além disso, costuma mudar a grade de horários de uma hora para outra sem prévio aviso. O Programa Livre que o Serginho Groisman fazia, por exemplo, em dois anos teve 40 alterações de horário.
Mas vejamos um contraponto que é a Record. Independentemente de quem seja o dono e da doutrina religiosa e política do grupo, a verdade é que eles ivestem em jornalismo (inclusive no Rio!) e entretenimento. Colegas meus que trabalham lá dizem que não têm do que reclamar, a infra-estrutura é boa e são bons pagadores. Os caras criaram ainda uma central de novelas no Rio e têm um terreno para construir um Projac três vezes maior que o da Globo. Mas também temo pelo preço que teremos de pagar por isso... será que essa ameaça à Globo pode trazer um grupo igualmente manipulador? Haahhaha, termino com uma pergunta também Gardênia!

Cláudia Lamego disse...

A diferença do Silvio Santos para o bispo Macedo é que o primeiro desistiu de querer bater a Globo, quer é ter uns programinhas que dêem Ibope e continua fazendo os seus de domingo, que sempre agradaram da classe C para baixo.
O bispo quer disputar poder nacional com a Globo e a Igreja Católica. Investe em jornalismo porque sabe a importância de um Jornal Nacional (hoje em dia, nem tanta mais, vide o sucesso do governo Lula, inversamente proporcional às porradas que ele leva na telinha da Globo) e em novelas porque quer dominar as comunicações no país. Mas a diferença, Mira, é de onde sai o dinheiro. No caso da Record, da Universal, que compra horários na madrugada e paga à emissora como se fossem os de horário nobre. E de onde vem o dinheiro da Universal? Dos fiéis incautos, aqueles que tiram as cuecas para comprar a vaga no céu.
Ih, será que serei mais uma processada pela igreja?

Cláudia Lamego disse...

Ah, confesso: adoro o Silvio Santos como apresentador e homem de animar auditórios, espécie rara nos dias de hoje.
"Mas que vai vai/mas que vai vem/O Silvio Santos/é coisa nossa/Décio Pitinini/é coisa nossa/A Sonia Lima/é coisa nossa..."

Lucas Bandeira disse...

Desculpe-me pela ignorância:
"Mas que vai vai/mas que vai vem/O Silvio Santos/é coisa nossa/Décio Pitinini/é coisa nossa/A Sonia Lima/é coisa nossa..."
- isso não é Jorge Ben, aquela música do Pasquim? Ou é o JB que cita o SS?