10 de abr de 2008

O DIU

Desde que comecei a me interessar pelos métodos anticoncepcionais – não que eu precisasse utilizá-los mas sempre fui muito curioso com os temas ligados à reprodução -, ainda na adolescência, um deles sempre me chamou a atenção: o DIU. Primeiro porque só tem três letras, segundo porque é esquisito pra caramba e terceiro porque deve doer no momento da introdução.

Sei lá por que mas eu sempre associei Dispositivo Intrauterino à mulher moderna. Acho que é por causa do nome, que é científico demais. E também porque a tia de uma prima minha, que era do Rio, portanto, mulher moderna (pelo menos para mim, um garoto do interior), fazia uso desse contraceptivo. A única pessoa que eu conheci que tinha o DIU dentro de si.

O que, de acordo com as minhas pesquisas, é uma contradição, já que o dispositivo é um dos métodos anticoncepcionais mais utilizados em todo o mundo: existem aproximadamente 100 milhões de usuárias. A China é a campeã, por que será? Para quem não conhece, o DIU é um objeto pequeno de plástico flexível, em forma de “T”, freqüentemente com revestimento ou fios de cobre.

Recomendável para mulheres com mais de 25 anos, o dispositivo, em linhas gerais, impede o movimento dos espermatozóides dentro do útero. É reversível e tem eficácia de quase 100%. A colocação é incômoda, de acordo com ginecologistas, e não é preciso ser muito esperto pra chegar a essa conclusão. Na rede privada, o custo varia de R$ 100 a R$ 600.

E o povo, como fica? De acordo com o Ministério da Saúde, o governo federal está dando mais atenção à saúde da mulher e ao planejamento familiar. Esclarecimentos sobre os métodos contraceptivos estão entre as prioridades. Recentemente, iniciou-se a campanha “Se cuide, filho não é brincadeira”, que terá cartazes e anúncios em revistas.

A intenção do Ministério é cumprir o compromisso firmado por Lula, de ampliação do acesso à informação e aos métodos contraceptivos disponíveis no SUS. Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde de 27 estados e capitais ficarão responsáveis por distribuir anticoncepcionais injetáveis, DIUs e diafragmas à população. Será?

4 comentários:

Deia Vazquez disse...

Eu tambem vivia intrigada com o DIU. O diafragma entao....
Sera que da mesmo pra confiar no governo?

Olívia Bandeira de Melo disse...

Vocês sabiam que Niterói é uma das poucas cidades do país que distribuem camisinhas femininas em postos de saúde?

Deia Vazquez disse...

Alguem ja testou? Nunca conheci mulher que ja tivesse testado e confesso que acho bem esquisito.

helena cristina disse...

Faz quatro anos,e eu sou acom que eu coloquei o dui ,e foi na rede publica aqui na Paraiba.